Um olhar sensível sobre os humanos da cidade

Fotos: Caroline Bastos e Juliana Cavalheiro

Quantas pessoas passam por nós despercebidas? Todos têm uma história e a projeto “Humanos de Guarapuava” se dedica a contá-las

Uma câmera fotográfica na mão, muita empatia e sensibilidade no olhar. É nisso que se baseia a página do facebook “Humanos de Guarapuava”. Com mais de 12 mil curtidas e dois anos de vida, a página se dedica a contar histórias de vidas dos moradores da cidade. A criadora, a nutricionista Juliana Cavalheiro, é amante da fotografia e também das pessoas. Segundo ela, o objetivo da página é eternizar histórias.

“Muitas vezes a gente chega e explica, e quem topa a contar sua história acaba se emocionando, e a gente se emociona junto. E muitas vezes é tudo o que a pessoa precisa, falar sobre si, desabafar”, conta Juliana.

Histórias

Não existe uma regra definida para a abordagem das pessoas que irão contar suas histórias. Os personagens da página são dos mais diversos tipos de pessoas, de diferentes classes sociais e faixas etárias.

Umas das últimas histórias contadas na página foi a do morador de rua José Ezequiel, de 38 anos. Ele está na rua há aproximadamente seis meses, por conta do vício pelo álcool. Por esse motivo, ele também perdeu a família, amigos e tudo o que tinha. “Com a fome, a gente até dá um jeito, mas passar frio é triste demais. A pior coisa que tem é na madrugada, você não dorme, você amanhece acordado, vira pra lá e pra cá, não tem como dormir, só quem está na nossa situação pra entender “, conta.

Outra história foi de Janaína, de 6 anos e de Patrícia, 10 anos. As duas meninas ajudam a mãe a catar latinhas. “Não, não ganhei nada hoje de presente. A gente veio ajudar a mãe a catar latinhas e agora estamos brincando um pouco.  Meu sonho era poder ganhar uma bicicleta ou um celular, mas é só sonho mesmo. Estou no terceiro ano e quero ser professora quando eu crescer.”, diz o relato de Patrícia na página.

“Eu ganhei uma Barbie (olhos brilhando). Estudo sim, estou no primeiro ano ‘né mãe’?. Meu sonho é ganhar uma bicicleta rosa. Quando eu crescer eu quero trabalhar nas casas fazendo muita comida gostosa. Você deixa eu olhar a foto depois pra ver se eu fiquei bonita?!”, diz o relato de Janaína.

Sobre a página

A ideia de eternizar a histórias dos humanos de Guarapuava na internet surgiu quando Juliana, passeando pelo facebook, se deparou com uma página que se dedica a contar histórias dos moradores de Ponta Grossa. “Achei a ideia maravilhosa, incrível, e quis muito trazer esse projeto pra cá. Entrei em contato com o criador da página de Ponta Grossa e pedi muitas dicas”, lembra a nutricionista.

O criador da página “Humanos PG”, o fotógrafo e escritor Diogo Teixeira, contou a Juliana que sua inspiração foi a página “Humans of New York”. Além de Nova York, cidades brasileiras, como Curitiba, Florianópolis, São Paulo e Rio de Janeiro têm páginas semelhantes.

Assim que decidiu criar a página de Guarapuava, a nutricionista procurou fotógrafos profissionais para fazer parceria. Depois de receber muitos “nãos”, Juliana conheceu a fotógrafa Caroline Bastos, que topou entrar no projeto com ela. Juntas, elas contaram muitas histórias nesses dois anos. Hoje, Juliana está administrando a página sozinha, pois Caroline acabou se mudando de cidade. Mas Juliana diz que a página segue firme e forte, e que mesmo que a quantidade de postagens por mês tenha diminuído com o tempo, por conta de suas responsabilidades pessoais, ela continuará contando muitas histórias ainda.

Empatia

Juliana relata que estar nesse projeto é muito gratificante, e que hoje, por conta da página, ela é uma pessoa melhor a cada dia. “Eu mudei muito. Você acaba ficando mais humano, sabe? Você acaba olhando pras pessoas de um jeito diferente. Você aprende muita coisa com as pessoas que estão na rua… Desde o cara que tem dinheiro, até o morador de rua, até as pessoas mais humildes. Com cada pessoa você aprende uma coisa, você acaba levando uma coisa pra tua vida, acaba guardando, uma frase, um conselho, uma dica, é muito bacana. Então, além de eternizar as pessoas, a gente acaba aprendendo com elas e crescendo como ser humano”, diz.

Quer conhecer mais histórias dos Humanos de Guarapuava? Dá uma olhada na página: https://www.facebook.com/Humanos-de-Guarapuava

Tagged with:     , ,

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA