Transporte coletivo é mais uma vez motivo de revolta dos guarapuavanos

Foto: Divulgação

Má gestão e falta de planejamento faz usuários sofrerem diariamente no deslocamento de casa até o trabalho com a falta de ônibus e superlotação

A central de jornalismo deste bissemanário acompanhou as manifestações neste final de semana nas redes sociais, em repúdio ao sistema atual de transporte coletivo de Guarapuava. Devido ao feriado da quinta-feira (2), de Finados, na sexta-feira a empresa Pérola do Oeste, que é detentora do transporte no município, teria retirado alguns ônibus e cortado alguns horários de itinerário, que causou revolta, pelo fato da população ter sido pega de surpresa.

Roberta Santos  parabenizou a empresa por ter feito recesso, com a desculpa que não teria aulas, esquecendo que milhares de pessoas atuam no comércio, empresas e serviços e iriam trabalhar normalmente. “A empresa responsável pelo transporte público decidiu que seria recesso para toda cidade e resolveu colocar menos ônibus para rodar. Avaliando que teria um fluxo menor de pessoas nos terminais, não levando em consideração o resto da população que precisar trabalhar e que paga um absurdo para usar o transporte”, disse a moradora.

Carla Alessandra avalia ser um absurdo, a empresa não respeitar os trabalhadores, que tinham seus compromissos normais. “Isso é o preço numa cidade aonde existe monopólio, que não abre espaço para outras empresas. Fazem mal feito seu serviço, deixando a desejar aos seus clientes. Um desrespeito total com a população”, desabafou, dizendo que ficou esperando um coletivo, para ir ao centro fazer um exame com hora marcada, onde chegou atrasada, após ter conseguido uma carona. “Na volta para casa tive que pegar um coletivo que demorou 45 minutos para chegar no ponto. Cobram caro por um serviço mal feito”, frisou.

Na opinião de Gisele Lima a empresa Pérola do Oeste só presta este tipo de serviço porque é a única empresa de transporte coletivo de Guarapuava. “Se existisse uma concorrência esse descaso não estaria acontecendo e certamente teríamos um transporte mais eficiente e com menos transtornos”, comentou Gisele. 

Mais reclamações

As reclamações aconteceram de moradores e usuários de diversos bairros da cidade, como do Boqueirão, Maderit, Jardim Veneza, Matos Leão, Vila Bela, Residencial 2000, Parque das Américas e Jardim Patrícia. Usuários vem reclamando quanto atitude de “alguns” motoristas no tratamento com cadeirantes, pessoas idosas e com necessidades especiais. “Esse programa deles de Wi-Fi e Moovit é só propaganda, não funciona. No terminal da Fonte além da espera pela saída do coletivo, sofremos com banheiros sujos, sem papel higiênico, a falta de bebedouros de água, num espaço aberto, onde entra chuva, vento e o frio”, lamentou Regiane da Rocha.

Organização criminosa

Enquanto a população de Guarapuava sofre com um sistema de transporte deficitário, a Justiça vai cumprindo seu papel na apuração do processo licitatório, que ocorreu em 2009, que deu o direito da empresa Pérola do Oeste de explorar o transporte de passageiros por 15 anos, em todas as linhas urbanas do município. O Ministério Público, com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Juízo da 1ª Vara Criminal de Guarapuava denunciaram a empresa por “Organização Criminosa”, em uma ação que envolveu empresas, advogados e servidores municipais. O esquema teria sido montado com envolvimento de agentes públicos, com objetivo de fraudar o processo licitatório em favor da empresa escolhida, no caso a Pérola do Oeste. Segundo o Gaeco na operação Riquixá, ficou comprovado o envolvimento de pessoas ligadas a empresa Logitrans, que juntamente com outra empresa de São Paulo vinham participando de licitações de transporte coletivo em várias cidades do Paraná, de forma combinada.

A redação do Jornal Extra entrou em contado com a Pérola do Oeste para o direito de resposta às reclamações da população. Até o fechamento dessa edição, a empresa não se manifestou.

O POVO FALA

Wilson Roberto Soares – “Enquanto existir só essa empresa que não respeita a população, isso sempre irá acontecer, infelizmente”.

Claudio Natanael – “Por isso deveria existir outras empresas de transporte, assim haveria maior concorrência, logo maior qualidade no transporte”.

Inês de Souza – “Sempre foi ruim e por conta do monopólio e da corrupção. Eles se acham o dono da cidade e não deixam entrar a concorrência”.

Daniel Ivanski – “Esqueceram que o comércio de Guarapuava é o que mantém a economia da cidade? Um trabalho realizado através de trabalhadores, e esses merecem respeito. Eles pensam que todos nós trabalhamos na prefeitura, aonde é recesso e mais recesso. Falta de respeito ao trabalhador do Comércio”.

Rosangela de Almeida – “A Pérola do Oeste não está nem ai para nós trabalhadores que dependemos de ônibus. Um descaso total, só quem enfrenta isso diariamente sabe o quanto é sofrido. Um absurdo isso, usava 4 ônibus por dia e hoje uso 2 porque cansei de tanto me estressar. Torço para uma nova empresa em Guarapuava”.

Zelia Alves – “Para ir ao trabalho fiquei das 7:30hs até as 8hs no ponto, pense no aperto dentro do coletivo. Quando é para aumentar o valor da passagem eles colam aviso em todo o ônibus”.

Joh Fagundes – “São uns lazarentos, ao sair do trabalho esperei duas horas no ponto, debaixo de muita chuva e ônibus que é bom nada. Fiquei doente. É uma falta de respeito com a população, estou indignada”.

Eliza Yamaguchi – “No horário das 18h10 o coletivo da Vila Bela deveria ter mais um ônibus, devido aos estudantes o coletivo vem lotado. Esses dias um senhor cair para fora, graças a Deus não foi nada grave, mas teve risco de acontecer algo pior”.

Beatriz Silva Gonçalves – “Tive que pegar o ônibus da linha Matos Leão porque o residencial 2000 era só uma hora. Quase que cheguei atrasada no trabalho porque a empresa é um …”.

Fernanda Luz – “Deveriam trazer os políticos para andarem de ônibus para eles sentirem na pele o que passamos diariamente. Nos horários de fluxo, a noite e finais de semana”.

Paula Franca- “Deveria ter outra empresa na concorrência, só assim eles iriam dar mais atenção a população”.

Leni Oliveira- “Pior foi o pessoal esperando nos pontos de ônibus Maderit, Boqueirao e Jardim Veneza abandonados. Eles pensam que não usamos ônibus no feriado e nos sábados”.

Ana Maria Paulena- “Todos nós ficamos feito bobos! Sexta-feira chuvosa à tarde e não tinha ônibus, lamentável”.

 

About the author /


Extra

Post your comments

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Newsletter

ASSINE O EXTRA